Grupos Maristas do RS

Rumo a um novo começo

Mística da PJM,
“São 200 anos de história. Um novo começo já chegou. Vamos celebrar!”. Esse é o refrão que embala a música-tema do Bicentenário do Instituto Marista, criada por Luiz Claudio de Freitas, que venceu o concurso que escolheu a música-tema da comemoração. Diversos representantes das unidades maristas espalhadas pelo Brasil se inscreveram, inspirados pelo tema “Maristas para um novo começo”. 
 
Feitas, que atende pelo nome artístico de Louis de Lima, revelou ter se inspirado no carisma marista e em uma conversa com Deus para compor a canção. “A música surgiu em um momento em que eu estava passando por muitos questionamentos pessoais, escrevi várias frases aleatórias e coloquei uma melodia naqueles versos. Um colega ouviu e me incentivou a fazer inscrição no concurso, e o resultado não poderia ser melhor. Hoje, percebo que Deus, quando quer falar as coisas d’Ele, não escolhe momento certo e vejo que essa música é uma prova disso” afirmou. 

“O desejo ardente do cuidado com os Montagnes. Relembrando o sentido Marista da Nossa missão”
 
Vivemos em constante perspectiva de missão e somos chamados/as a ser jovens missionárias/os que anunciam a Boa Nova de Jesus Cristo aos/às Montagnes de hoje, que têm muitos rostos e realidades. Emili Turú, na carta Montagne: a dança da missão orienta uma reflexão sobre o sentido de missão e coloca Jesus Cristo como O Verbo. Pensarmos em evangelização é pensarmos em um fluxo, um movimento constante “que está sempre e em todas as partes, presente na criação”.
 
Assim, sermos missionárias e missionários parte desse movimento, entramos em sintonia com Deus em uma grande dança da vida, dança do amor, dança da missão. Em 2015, nos foi colocado um desafio: O que você faria se não tivesse medo? A resposta esteve sempre nos passos de Maria que foi capaz de responder ao Senhor com confiança: “Eis aqui a serva do Senhor; cumpra-se em mim segundo a tua palavra” (Lucas, 1, 37-38). Desde então, nosso compromisso tem sido partir em missão ao encontro dos novos/as Montagnes e sermos presença significativa em suas vidas. 
 

“Com Maria, nossa Boa Mãe, chegaremos confiantes à Aurora da Manhã. E acolhidos no seu colo estaremos bem unidos a Jesus”
 
Ao renovarmos a promessa de Fourvière, Turú nos convida a “renovar de coração nosso compromisso de ser o rosto mariano da Igreja, promovendo comunidades vivas e abertas, profundamente samaritanas” (Veja a carta: Fourvière: revolução da ternura). Quando nos colocamos constantemente em missão, nosso carisma mariano se coloca à mostra, para que construamos juntos uma igreja maternal e fraterna. Inspirados em Maria, a Boa Mãe, através da promessa de Fourvière, buscamos um sonho: Construirmos a Civilização do Amor. Uma civilização na qual exista uma unidade na diversidade. Uma civilização na qual a vivência da fé se construa em comunidade. “A dimensão comunitária não é apenas um 'marco', um “contexto”, mas parte integrante da vida cristã, do testemunho e da evangelização”, disse o Papa Francisco em uma de suas audiências.

“Um novo começo de um projeto Que surgiu em La Valla”
 
No ano do Bicentenário, momento de festa e reflexão, somos transportados/as à Casa de La Valla, onde tudo começou. No andar térreo, encontra-se a famosa mesa de La Valla, que representa o símbolo da comunidade dos Irmãozinhos de Maria. É nessa mesa em que se sentaram Marcelino e os primeiros irmãos e, hoje, os Irmãos, Leigos e Leigas  são chamados/as a ser comunidade inspirados em Maria. Em sua última carta (La Valla: casa da luz), Emili Turú traz o subsolo da casa como um espaço de meditação e interioridade, da dimensão mística de nossas vidas. La Valla se torna casa de luz para nós, nos dá o caminho a seguir e a inspiração para sermos luz na vida das pessoas e sermos casa de luz para os/as outros/as. 

Sugestão de Reunião
  • Ambientação: imagens de Champagnat e Boa-Mãe, uma vela.
  • Acolhida: receber os/as participantes em um ambiente mais escuro com música tranquila de fundo.
  • Reflexão: Propor aos/às participantes reflexão sobre as seguintes questões:
- O que esses elementos da ambientação têm a ver com nosso grupo?
- Qual a sua missão de vida?
- Qual o maior propósito d nosso grupo? Qual é nossa missão?
- Qual é nosso compromisso com a sociedade?
- O que nos inspira?
  • Após alguns momentos de reflexão pessoal, dividir o grupo em três menores e entregar para cada grupo um trecho-chave de cada carta de Emili Turú, que trabalhe um pouco de cada aspecto das questões acima.
  • Promover uma discussão em grande grupo.
  • Convidar para que cada participante escreva em pequenos papéis suas conclusões.
  • Enquanto cada um/a "oferta" suas conclusões diante do ambiente preparado, reproduzir a música “Rumo a um Novo Começo” para que todos/as cantem junto. (Fazer download da música)
 
Letra da música Rumo a um novo começo

Autor: Louis de Lima (nome artístico de Luiz Cládio de Feitas)
 
Somos convidados a um olhar 
Sobre o que passou e o que virá. 
Um novo começo de um projeto 
Que surgiu em La Valla.
 
Novos tempos... Novas necessidades... 
Alimenta em nossos corações. 
O desejo ardente do cuidado com os Montagnes 
Relembrando o sentido Marista da Nossa missão 
 
São 200 anos de história. 
Um novo começo já chegou. 
Vamos celebrar! 
E fazer verdade esse sonho 
Que nasceu no coração de Champagnat. 
 
Com Maria, nossa Boa Mãe, 
Chegaremos confiantes à “Aurora da Manhã” 
E acolhidos no seu colo estaremos bem unidos a Jesus, 
Sem medo de arriscar e assumir a missão! 
 
São 200 anos de história. 
Um novo começo já chegou. 
Vamos celebrar! 
E fazer verdade esse sonho
Que cresceu nos corações... 
 
São 200 anos de história. 
Um novo começo já chegou. 
Vamos celebrar! 
E fazer verdade esse sonho 
Que nasceu no coração de Champagnat.
 
Texto: Cristiano Patrício | Animador na PUCRS