Grupos Maristas do RS

Habemus Papam! Jorge Mario Bergoglio é o escolhido para ser o novo papa

PJM,

Papa Francisco I foi escolhido hoje à tarde.

Notícia via ClicRbs

Jorge Mario Bergoglio é o papa Francisco I

O anúncio do novo do eleito pelos 115 cardeis foi feito pouco depois das 16h desta quarta

 

Com o nome de Francisco I, o argentino Jorge Mario Bergoglio é o novo papa. Aos 76 anos, o arcebispo de Buenos Aires foi o escolhido para comandar a Igreja Católica. Ele sucede Bento XVI, que deixou o cargo no dia 18 de fevereiro alegando idade avançada e questões de saúde. Ele é o primeiro latino-americano e primeiro jesuíta a ser eleito papa.

Nascido em Buenos Aires em 17 de dezembro 1936, é filho de italiano que emigrou de Turim, na Itália, para a Argentina, onde teve cinco filhos. Formou-se técnico químico, mas em 1958 entrou para a Companhia de Jesus e iniciou os estudos para o sacerdócio. Completou os estudos humanistas no Chile e em 1963, de volta a Buenos Aires, formou-se em Filosofia na Faculdade de Filosofia do colégio máximo São José de São Miguel. De 1964 a 1965, ensinou literatura e psicologia no Colégio da Imaculada de Santa Fé e, em 1966, ensinou as mesmas matérias no Colégio do Salvador, em Buenos Aires. De 1967 a 1970 estudou teologia na Faculdade de Teologia do Colégio São José, de São Miguel, onde se formou. Em 13 de dezembro de 1969 foi ordenado sacerdote.

Desde o início já era visto como religioso em ascensão. De 1973 a 1979, serviu como o provincial dos jesuítas, na Argentina, em seguida, em 1980, tornou-se o reitor do seminário do qual ele tinha se formado.

Bergoglio foi nomeado bispo auxiliar de Buenos Aires em 1992 e depois sucedeu o adoentado cardeal Antonio Quarracino, em 1998. Em 2001, foi nomeado cardeal por João Paulo II que o designou a igreja romana que leva o nome do lendário jesuíta São Roberto Belarmino.

Tido com um homem tímido e de poucas palavras, tem grande prestígio entre seus seguidores, que apreciam sua total disponibilidade e seu estilo de vida sem ostentação. Goza de prestígio por seus dotes intelectuais, e dentro do Episcopado argentino es considerado um moderado.

Porém, o agora ex-arcebispo de Buenos Aires seria um ortodoxo inflexível em matéria de moral sexual e um opositor do aborto, da união homossexual e da contracepção. No entanto, demonstra compaixão pelas vítimas da Aids, e em 2001 chegou a visitar um sanatório para lavar e beijar os pés de 12 pacientes soropositivos.

Após a eleição de Bento XVI em 2005, alguns repórteres chegaram a identificar Bergoglio como tendo sido o principal desafiante de Joseph Ratzinger no conclave daquele ano. Um diário anônimo que circulou pela imprensa italiana indicava que o argentino chegou a receber 40 votos na terceira votação — a que antecedeu a eleição de Bento.