Grupos Maristas do RS

MJM |Dia de conhecer novas realidades e possibilidades

PJM,

Hoje, 30 de julho, foi o primeiro dia da Missão Jovem Marista (MJM), que tem como objetivo oportunizar aos adolescentes e jovens uma experiência com grupos que estão contribuindo para a construção da Civilização do Amor.
Com a proposta de uma experiência de fé na prática da vida, a MJM acontece na Coopan, cooperativa que fica no assentamento Capela, no município de Nova Santa Rita.
O dia começou com a contextualização aos jovens sobre o conceito de missão no qual eles estavam se inserindo.


   Momento de comunhão com o projeto e partida para a Cooperativa

Na parte da manhã, eles conheceram o histórico do Movimento dos Sem Terra (MST), do processo de lutas e conquista pela terra, até a formação da cooperativa e como eles estão organizados

.
Os jovens visitaram uma simulação das barracas dos acampamentos 

Após almoço coletivo com todos os integrantes da Coopan, a tarde foi dedicada a conhecer os espaços de trabalho e se colocar a serviço, junto a eles, contribuindo efetivamente. Em espaços como a Ciranda (lugar onde as crianças desenvolvem atividades educativas enquanto seus pais estão trabalhando), silo de arroz (onde o arroz orgânico produzido por eles é separado, descascado, embalado e preparado para a distribuição).



        Animadoras no silo de arroz, no trabalho de classificação  

Para Rômulo Vizzotto, Animador do Cesmar de Porto Alegre o dia foi muito produtivo, tendo a oportunidade de desenvolver tarefas que normalmente no dia a dia ele não faz.
Já para Paola Teixeira, Animadora do Colégio Marista Sant’Ana, conta que se surpreendeu com a realidade e organização a qual encontrou. E o que mais chamou a atenção foi na apresentação feita pelas lideranças femininas da Cooperativa, que a 20 anos atrás a terra era de um proprietário, o qual não produzia alimentos. Hoje neste mesmo espaço, são mais de 29 famílias que retiram o sustento da terra, gerando vida nos contextos mais diversos.
Na síntese orante da noite, foi refletido através de imagens e músicas os momentos marcantes desse dia e a função social que a terra possui.
Dia intenso de se colocar a caminho, conhecer novas realidades, fazer experiências e entender contextos para ajudar a construir a Civilização do Amor.

Finalizamos a noite entoando e com acerteza que:

“Nós somos a casa de Deus, o templo do amor.
Buscamos o sonho de deus, viver no amor”.