Grupos Maristas do RS

Cultura da Solidariedade

Mística da PJM,

Os seres humanos são seres de relações, ou seja, desde o nascimento já se relacionam com mãe, pai, irmãos, de maneira efetiva/afetiva e também com o mundo. O simples fato de conhecer o mundo é uma relação.
Acredita-se que, hoje, a sociedade globalizada nos apresenta um mundo que prega o individualismo, a não socialização nas relações entre as pessoas.

A felicidade, em um contexto de globalização capitalista, está alicerçada no simples fato de conseguir adquirir bens materiais, o prazer instantâneo relacionado, uma busca de felicidade instantânea.
No entanto, temos ações sociais que contradizem esse mundo individualista, que são as ações de voluntariado, que buscam uma mudança social, ou seja, um mundo melhor, sem desigualdades.
O voluntariado é compreendido como um fator social que contribui para o protagonismo do agente e de quem recebe essa ação social que visa sempre a algo melhor para aquela realidade (ou instituição) que recebe as ações solidárias.

Busca-se um sentido de pertença e cooperação ao desenvolvimento da sociedade. O pano de fundo é criar uma cultura de solidariedade, criando vínculos e parcerias na sociedade.
A cultura da solidariedade ajuda no processo formativo/educativo dos adolescentes e jovens, pois no simples fato dessa cultura, estar presente na vida dos adolescentes e jovens, mostra a eles outras possibilidades de ser feliz e ajudar outras pessoas a serem felizes: a formação de uma consciência crítica e de um projeto de vida focado no humano, e não somente nos bens materiais.

Segundo Sberga (2001) o voluntariado é uma proposta educativa para os adolescentes e jovens, contribuindo para o seu caminho formativo.
Percebe-se que a cultura do voluntariado, voltada à solidariedade, implica atitudes que nos auxiliam a aprender a olhar a realidade de uma maneira mais ampla. Oxalá que possamos criar forças e vontades para atuar nos ambientes que mais necessitam de nossa ajuda.

O voluntariado nos convoca ao protagonismo juvenil, a ter um projeto de vida focado nas relações com os outros, consigo mesmo, com a natureza e mundo.

Referências
SBERGA, Adair Aparecida, Voluntariado jovem: construção da identidade e educação sociopolítica / Adair Aparecida Sberga. – São Paulo : Editora Salesiana, 2001.

 
 Animadora da PJM em atividade durante a Missão Jovem Marista | MJM
                                       Crédito da foto: Lucas Saporiti

Texto: Ir. Matheus da Silva Martins. Equipe Provincial da PJM e Agente de Pastoral no Colégio Marista PIO XII