Grupos Maristas do RS

Samaria é lugar de encontro | No grupo de jovens, na comunidade, nos pobres, nos sacramentos

Sobre Juventudes, Para Baixar, Multimídia,

Fonte: Cajueiro

“De noite iremos, de noite, iremos buscar a fonte,
só nossa sede nos guia, só nossa sede nos guia...”

[Cântico de Taizé]

Nesse caminho por Samaria somos interpelados pela mística que brota a beira de um poço. Lugar que tem sido espaço de encontro com a juventude, com a Boa-Nova e com o mesmo Senhor que se apresenta a nós. O encontro do Mestre com a samaritana (Jo 4), por exemplo, suscita muita vida para nós que desejamos ser seguidores/as Dele e servidores /as da juventude, rumo a Jerusalém, a doação total da vida.

Samaria quer nos provocar nos lugares que temos para nos encontrar com o Senhor. Um poço. Meio dia. Sol forte. Jesus cansado da viagem se senta (Jo 4, 6). Em seguida, uma mulher samaritana, sedenta de água e da Água viva se aproxima (Jo 4, 7a). Um pedido: “Dá-me de beber” (Jo 4,7b). Eis um encontro! O poço se faz lugar não somente de buscar água. Mesmo com as diferenças entre judeus e samaritanos (Jo 4, 9). Apesar da rejeição da mulher na sociedade judaica, com a abertura e disposição de Jesus e da samaritana um encontro acontece. A mulher não seria mais a mesma. Encontrou-se, pois, com o Messias (Jo 4, 29)

Contemplar a cena desse momento nos leva a rezar e pensar nos encontros com o Senhor, nos lugares onde o buscamos. Onde temos buscado Jesus? Temos nos encontrado com Ele? Como? Onde? De que modo? O grupo de jovens é sem dúvida espaço propício onde encontramo-nos com o Senhor. Podemos encontrá-Lo habitando no meio de nós, no meio da juventude. O grupo de jovens pode e deve nos ajudar a fazermos a experiência de encontrarmos o Mestre na comunidade e em comunidade.

Aqui vale a pena dizer dos históricos momentos de retiro que as Pastorais da Juventude sempre cuidaram em seus planejamentos. Espaços de silêncio, de vivência de uma mística de profundo encontro com Jesus, através da oração, do Ofício divino da Juventude, das celebrações, da partilha de vida, da revisão de vida, na memória dos mártires, etc...

O caminho percorrido pela Igreja desde o Vaticano II foi nos ajudando a reconhecer Cristo nos pobres e a vivermos a opção preferencial por eles, firmada na América Latina desde Medellín. Cabe aqui perguntar-nos: reconhecemos nos pobres o rosto de Cristo e o rosto deles no rosto de Jesus? Nos pobres há sempre um encontro profundo com o Mestre. Encontro que não nos deixa ficar parados. Que nos move nas causas da justiça, da partilha, do bem-comum.

Os Sacramentos, igualmente, são espaços/lugares fecundos de encontro com o Senhor. Que bonito percorrermos nossos grupos de jovens pela América Latina e testemunharmos a juventude vivendo os sacramentos. Que beleza testemunhar a experiência do abraço misericordioso de Deus no sacramento da Reconciliação. Que maravilha a ação de tantos/as jovens vivendo radicalmente seu Batismo e sua Confirmação no seguimento a Jesus. Que esperançoso a juventude fazendo a experiência da presença amorosa e cuidadosa de Deus nos momentos de doença e enfermidade. E que mistério grandioso ver jovens se colocando a serviço no Matrimônio ou no Sacerdócio.

Sem dúvida alguma, também, a Eucaristia, memória pascal de Cristo, se faz por excelência o lugar de encontro com o Senhor, pois, é o “cume e ápice da vida da Igreja”. Encontro que nos coloca em Comunhão com Ele e com toda a humanidade. Que boniteza percorrermos os grupos de jovens e comunidades de nossa Igreja e nos encontrarmos com jovens que além de participarem das celebrações em muitíssimas comunidades, animam a liturgia. Além disso, vermos tantas escolas e cursos de liturgia acontecendo em nossos países.

Samaria, contudo, não deixa de nos incentivar a fortalecer espaços que contribuam para que a juventude melhor celebre o mistério pascal de Cristo e melhor ajude nossas comunidades na vivência da fé. Engana-se quem pensa que a juventude não vive os Sacramentos. Todavia, Samaria, nesse tempo de revitalização, nos motiva a incentivar e fortalecer a vivência Deles com a os jovens.

Como temos cultivado nossos encontros com o Senhor? Na beira do poço, gastemos um tempo refletindo e pensando sobre nossos encontros com Ele. O certo é que Ele vem até nós. Na medida em que caminhamos pra Ele, Ele se antecipa até nós e nos surpreende.

Que de nosso poço brotem correntes que nos levem a vivermos sempre mais os encontros com o Senhor e que nossos baldes estejam sempre cheios de esperança e de vida nova.

“Na vida em comunidade,
Nos encontramos com o Senhor...
Com o Senhor, com o Senhor...”

Autores:

- Cladilson Nardino: estudante de Engenharia Civil, membro da Coordenação Arquidiocesana da PJ de Curitiba/PR
- Luis Duarte Vieira: Noviço Jesuíta e Militante da Pastoral da Juventude
- Maicon André Malacarne: Padre, Assessor da Pastoral da Juventude da Diocese de Erexim/RS