Grupos Maristas do RS

A descoberta da comunidade e da questão social

PJM,

Nos meses de junho e julho de 2013, milhões de adolescentes e jovens brasileiros foram às ruas para lutar por melhores condições de vida. Inicialmente contra o aumento das tarifas do transporte, mas rapidamente a luta por mais direitos sociais estava presente nas mobilizações e se pedia mais saúde, educação, democracia.

Nos cartazes, faixas e rostos pintados também diziam que a política atual não representa as juventudes, que quer mudanças profundas na sociedade brasileira.
Para muitos/as, quando isso aconteceu, foi quase que um choque, pois não se imagina que pudessem se manifestar, sair às ruas.
Sem que a sociedade percebesse, tinha algo que estava sensibilizando-os/as. Segundo o sociólogo Michael Mafessollì, “não há mais uma grande causa, a ‘sociedade perfeita do amanhã que vamos construir pela política’, mas, ao contrário, é o que está mais ligado à vida cotidiana” que está sensibilizando as juventudes.
São causas mais afetivas, mas o ponto de partida é a realidade cotidiana, a partir de onde os pés pisam.

Após a sensibilização vem o compromisso de cada pessoa. É o sair do isolamento e procurar agir em grupo, coletivamente. Esse compromisso precisa ser assumido e experienciado.
Para assumir precisa entender o que está acontecendo, ver a vida cotidiana a partir de algumas chaves de leitura, pois, do contrário, a ação sem formação leva ao vazio de sentido, e formação sem ação leva à alienação.
Dentro do processo de vivência grupal da PJM, o grupo experimenta suas etapas a partir das descobertas: do caminho comunitário; do grupo; da comunidade; da questão social; do despertar da vocação e o amadurecimento do projeto de vida.
Por essas descobertas o adolescente e jovem vai assumindo sua vida, libertando-se de dependências, vai solidarizando-se com as causas de outras pessoas.
Enfim, vai amadurecendo e adquirindo mais condições para ajudar a gestar uma sociedade diferente, mais humana e solidária. A ousadia e o protagonismo de adolescentes e jovens resultam em mudanças na sociedade

Sensibilizar para comprometer!

A PJM do Colégio Marista Champagnat, em 2014, refletiu com os participantes e Animadores/as sobre política, motivados pelas manifestações de 2013 e por ser ano de eleições, despertando para a dimensão política do ser humano e para o exercício da cidadania. Eis as atividades realizadas:

Atividade 1:
No Reencontro de toda a PJM, no início do ano, os participantes foram divididos em grupos de cinco pessoas representando a “família”.Cada pessoa representava uma especificidade dentro da família: pai, mãe, filho que estudava no Ensino Fundamental, filho que estudava no Ensino Médio e idoso.

Não era necessário ser do gênero masculino ou feminino para exercer a função, só deveria representar o papel dessa pessoa dentro da família.
Prepararam-se seis Animadores/as que seriam os candidatos à prefeitura, e cada candidato tinha seis propostas.
Em seguida, juntaram-se mães e pais em um grupo, todos os filhos em outro, e os idosos ficaram sozinhos.
Cada um desses três grupos foi para um ambiente diferente onde dois candidatos falaram sobre as suas propostas.

Cada candidato tinha aproximadamente seis minutos e fazia rodízio entre os grupos para que todos ouvissem as propostas de todos.
Para essa etapa foi distribuído papel com os nomes dos candidatos de cada rodada.Eles deveriam marcar um “x” no que eles escolhessem.
As famílias foram novamente unidas e precisavam entrar em um consenso sobre os candidatos, já que cada uma delas tinha direito a apenas um voto.
Para finalizar, fez-se a apuração dos votos e uma partilha das experiências da dinâmica

Atividade 2:
Essa aconteceu no reencontro da PJM de agosto. Separaram-se os participantes em grupos de oito pessoas.

Cada grupo começou a ser chamado de chapa. Eles precisavam elaborar seis propostas, seguindo as seguintes temáticas:
1. Para ser executado diariamente por todos do grupo, individualmente, na sua realidade;

2. Transporte;

3. Saúde;

4. Educação;

5. Sustentabilidade;

6. Projeto social;

7. Acessibilidade e 8. Livre.

Cada Animador/a ficou responsável por acompanhar e animar uma chapa, dando as orientações e fazendo observações. Tinham que elaborar propostas que pudessem colocar em prática. Por exemplo: aumentar a frota de ônibus: como? Depois da primeira atividade do ano, deu-se uma das propostas elaboradas para cada adolescente e jovem do grupo (oito propostas para oito adolescentes e jovens).

Em seguida, foram reorganizados por temáticas: todos os do transporte se reuniram; todos os da saúde, e assim por diante.
O desafio era escolher a proposta mais em conta e unir as propostas, enfim, ficava a critério do grupo definir como e o que iria fazer. Após, cada grupo escreveu em um pedaço de tecido a sua proposta e todos os pedaços foram costurados, criando ações comuns.

Cada Animador/a foi fazendo a conscientização no seu grupo sobre essa atividade, para
gerar comprometimento. Eis as propostas:

1. Para ser executado diariamente por todos do grupo, individualmente, na sua realidade: cartazes da inspiração corrente do bem;

2. Transporte: criar um sistema de caronas por bairro;

3. Saúde: incentivar a criação de grupos para se exercitar regularmente;

4. Educação: partilha do conhecimento escolar via internet;

5. Sustentabilidade: lixeiras para lixo orgânico na sala de aula com a finalidade de hortas comunitárias;

6. Projeto social: levar ração e água na mochila para alimentar animais de rua. Criar uma página no Facebook para divulgar esse projeto;

7. Acessibilidade: produzir rampas de madeira para acessibilidade urbana contendo frases e imagens inspiradoras;

8. Livre: levar o seu espírito protagonista, adquirido na PJM, para fora do seu grupo, através de encontros.

A partir dessa atividade, percebe-se que os participantes e o grupo vão descobrindo o seu protagonismo e a sua cidadania a partir da prática, pois o compromisso exige despojamento, espírito missionário, contato com a realidade, que se transforma em compaixão.

Dar oportunidade para irem exercitando é incentivar para a participação cidadã.


  Participantes, Animadores/as e Assessora da PJM do Champagnat 

Essa matéria consta na publicação Nós em Rede, da Coordenação de Pastoral, que aprofunda temas da nossa ação evangelizadora e apresenta ações desenvolvidas nas Unidades da Rede Marista.

Confira as demais editorias!