Grupos Maristas do RS

Amizade e Partilha

Mística da PJM,

Na caminhada de amadurecimento na educação da fé, o segundo passo é a Descoberta do Grupo. O/a adolescente/jovem após ter realizado algumas experiências iniciais e ter sido seduzido/a pelo grupo, começa a aprofundar o seu compromisso de estada e permanência, sentindo-se parte de um todo e não apenas como individuo isolado. Na medida em que essas vivências vão acontecendo, desperta-se maior interesse para assumir algum compromisso comunitário, sendo protagonista da sua vida e vendo no outro uma possibilidade de crescimento.

A Mística da PJM apresenta como símbolo da segunda descoberta o “coração acolhedor”. Um coração que é fonte de amor inesgotável, que acolhe e compreende o outro independente de sua situação social, realidade de gênero ou crença religiosa. Jesus de Nazaré é para nós, jovens, exemplo perfeito de amor incondicional, de humano/divino que soube acolher a mulher adúltera, a Samaritana, os cobradores de impostos e todos que se aproximavam dele.

A alteridade traz um aspecto essencial para a vivência da amizade e da partilha. Mas afinal, o que é alteridade? É ser capaz de apreender o outro na plenitude da sua dignidade, dos seus direitos e, sobretudo, da sua diferença. Quanto menos alteridade existe nas relações pessoais e sociais, mais conflitos ocorrem. Nesse quesito retornamos novamente para Jesus de Nazaré que, melhor do que ninguém enfatizou a radical dignidade de cada ser humano. Todos foram criados a imagem e semelhança de Deus. Todo ser humano, dentro da perspectiva judaica ou cristã, é dotado de dignidade pelo simples fato de ser vivo. Não só o ser humano, todo o Universo.

Em uma sociedade marcada pelo egoísmo, pelos conflitos sociais e religiosos, o Pe. Champagnat foi outro exemplo de vivência do amor pleno, pautado em atos de partilha e de profunda amizade. Partilhando os seus dons, colocando-os a serviço da Igreja na Fundação do Instituto Marista, soube responder ao chamado que os Jovens Montagnes da época lhe faziam. Os ecos desse chamado ainda ressoam nos dias atuais, em cada obra Marista, em cada espaço de educação e evangelização que crianças, adolescentes e jovens frequentam.

O coração do grupo começa a bater em harmonia na medida em que ele vai descobrindo o valor da amizade construída e da partilha realizada com o outros. Esses atos que são internos ao grupo, aos poucos começam a sair das estruturas e ultrapassam as fronteiras, indo ao encontro daqueles que mais necessitam.

Para contribuir na reflexão do grupo:
- De que forma estamos vivenciando os valores da amizade e da partilha?
- É possível transformar esses valores humanos em ações concretas? De que maneira?

Sugestão de música:
Monte Castelo – Legião Urbana.

   

Texto: Ir. Jader Henz | Equipe Provincial da PJM, Coordenador de Pastoral e Assessor da PJM no Colégio Marista São Luís.