Grupos Maristas do RS

Experimento com profissionais de RH mostra que racismo institucional

Papo Cabeça,

Dados de um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatítica (IBGE) apontam que 82,6% dos negros afirmam que a cor da pele influencia nas oportunidades de trabalho. Uma realidade que se confirma em outros números: profissionais negros ganham em média 36% menos que os brancos, ocupam apenas 18% dos cargos de elite e são 60,6% dos desempregados. 


Profissionais de RH tiveram reações diferentes ao ver fotos com pessoas brancas e negras

 
Entre os muitos fatores que mais contribuem para essas estatísticas, está o Racismo Institucional, problema que se manifesta quando instituições públicas ou privadas atuam de forma diferenciada em relação a uma pessoa por conta da sua origem étnica, cor ou cultura, privando-a de oportunidades profissionais e sociais diariamente.
 
Para chamar atenção para esse problema grave, o Governo do Paraná em parceria com a Assessoria Especial da Juventude e o Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial, assinam a campanha “Teste de Imagem”, criada pela Master Comunicação. Nela, profissionais reais da área de Recursos Humanos foram convidados para um experimento.
 
Eles foram separados em dois grupos e um mediador mostrou ao primeiro grupo  imagens de pessoas brancas em situações comuns do dia a dia. Já o segundo grupo viu imagens com as mesmas situações, mas com pessoas negras. O resultado foi alarmante, a grande maioria das respostas dos RHs do segundo grupo, colocou os negros em posição social inferior à dos brancos, muitas vezes os descrevendo de maneira pejorativa. (Veja no vídeo abaixo), Isso que mostra que mesmo sem perceber, muita gente ainda comete atos de racismo.
 
Além dos filmes que trazem as reações dos RH’s, a campanha também conta com mídia impressa e um site, o contraracismo.pr.gov.br, que traz informações e estatísticas sobre o racismo institucional.