Grupos Maristas do RS

Pôr em prática as suas resoluções de Ano Novo é mais fácil do que você imagina. Confira as dicas!

Papo Cabeça,

Não importa quais são os seus objetivos para 2017, todos dependem unicamente de um único fator: você. Definiu sua meta? Então entre em ação. Comece por não tratá-la apenas como um desejo, e, sim, como uma proposta real de mudança, com plano, cronograma e o que mais for preciso.

“A cada novo ano, as pessoas fazem as promessas sem pensar no que aquilo vai implicar em suas vidas. Há uma diferença entre desejo e proposta de mudança. O desejo tem a ver com vontade, e a proposta de mudança significa planejamento e organização para atingir um objetivo” explica a psicóloga e coach Taís Bonato. Segundo ela é necessário planejar, avaliar e perguntar a si mesmo se você está preparado/a para fazer essa mudança, no sentido de organização, disciplina, estruturação de vida.


É importante ter foco nos objetivos que pretende alcançar. (Imagem disponivel em Levy Corrêa Coach)
 

Se a sua resposta é sim, declare sua intenção. Vale conversar com familiares, amigos e até profissionais que podem ajudá-lo/a a se organizar nos próximos meses. Além disso, confira as sugestões a seguir que foram elaboradas a partir de diálogos com a analista em inteligência emocional, Semadar Marques e a coach, hipnóloga e trainer em programação neurolinguística Mileine Vargas. De acordo com as especialistas tirar os metas do papel pode ser mais simples do que você imagina.

Planeje

Tanto quanto de sonhos, você precisa de planos. As pessoas, muitas vezes, não conseguem visualizar aonde estão indo e como ou quando querem chegar lá, observa Mileine Vargas. “Nossa mente precisa de dados específicos para começar a agir. Após identificar o que deseja e elencar prioridades, pense em ações concretas, metas e prazos para cada objetivo. Dessa forma, o que parecia vago e distante torna-se praticável, e você se anima a seguir adiante”, afirma.

Seja realista

Estabelecer metas muito ambiciosas a curto prazo é uma receita certa para a frustração. Organize seu cronograma de modo a começar pelo que é mais fácil – geralmente, objetivos simples e que dependem principalmente de você para serem alcançados. Conquistar pequenas vitórias é importante para ganhar autoconfiança e manter a motivação. Para não perder de vista as metas mais arrojadas, crie micrometas nas quais você possa trabalhar aos poucos. Exemplo: se até o fim do ano, você deseja emagrecer 20 quilos, o quanto de peso precisa perder a cada mês?

Tenha paciência

Mudar de vida é um processo que não ocorre do dia para a noite. Quando o imediatismo falar mais alto e a ânsia por resultados bater, procure relembrar o propósito da sua caminhada e o quanto você já avançou em direção a seus objetivos.

Enfrente os seus medos

Às vezes, mais do que qualquer outra limitação, o medo do sucesso torna-se o maior entrave à realização dos seus sonhos. “Se você acredita que não merece tal coisa, seu inconsciente cria obstáculos para afastá-lo/a daquilo”, assegura Semadar. Você costuma dizer a si mesmo/a que é incapaz ou que mudar não vale a pena? Então, mude o discurso.

Peça ajuda

A realização de alguns planos pode envolver outras pessoas, e a participação de cada uma deve entrar no seu planejamento. Mesmo quando é tudo com você, ter suporte permite delegar tarefas, otimizar o tempo e manter o entusiasmo – desde que você recorra às pessoas certas. “Temos que procurar apoio em quem pode nos apoiar”, destaca Semadar. Às vezes, buscamos segurança em quem tem uma mentalidade diferente e acabamos desmotivadas e desencorajadas.

Invista na autoestima

O incentivo externo é uma ajuda e tanto, mas a força decisiva para tocar seus planos vem de você mesma. Por isso, jogue no seu time: cuide da saúde, celebre os avanços e dedique-se a projetos e atividades que exercitem as suas habilidades.

Sempre que preciso, reveja suas resoluções

Um objetivo bem definido serve para guiar as suas ações – não para massacrá-lo/a no percurso ou limitar o seu senso de oportunidade. “Se a jornada for muito cansativa, pode ser que eu atinja a minha meta e nem queira seguir me desafiando” pondera Mileine. Empenhe-se em cumprir o que determinou para si, mas esteja aberto/a a mudar de ideia ou de estratégia. Ao longo do caminho, você pode descobrir meios alternativos para chegar no mesmo fim.

Fonte: Donna ZH