Grupos Maristas do RS

Tempo para pensar sobre ecologia integral

Mística da PJM,

Anualmente, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) define um tema para reflexão durante a Quaresma. Em 2017, a proposta versa sobre Fraternidade: os biomas brasileiros e a defesa da vida. Com o lema ‘Cultivar e guardar a criação’ (Gn 2,15), a Campanha da Fraternidade deste ano convida para um olhar atento à degradação da Amazônia, Cerrado, Caatinga, Mata Atlântica, Pantanal e Pampa, e os impactos que a devastação ocasiona à população que vive nesses locais.

A região de abrangência da Rede Marista compreende quatro biomas: Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica e Pampa. Segundo levantamento do IBGE, dos quatro, três estão entre os mais devastados do país: Mata Atlântica - com apenas 12% de área preservada; Pampa – que perdeu 54% da sua área original; e Cerrado – que tem degradação de 48%.

Tendo em vista tal contexto, vem a questão: O que estamos fazendo para combater a destruição da natureza que nos cerca? Em sua recente carta, a Laudato Si, o Papa Francisco apresenta o conceito da ecologia integral que perpassa a consciência ambiental e atenta para outras esferas da ecologia, incluindo aspectos político-sociais, mentais, culturais, educacionais, éticos e espirituais ao cuidado com meio ambiente. Isso porque a preservação está atrelada a tudo o que nos cerca, e os impactos da falta de cuidado são recorrentes em nosso dia a dia.

Ainda de acordo com Francisco, é preciso que haja uma “conversão ecológica”. O Pontífice propõe uma mudança de rumo para que os seres humanos assumam a responsabilidade de um compromisso para o zelo da casa comum. E a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) sugere que o tempo favorável para essa conversão ocorra durante a Quaresma.

Conforme o secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner, é preciso dar ênfase à diversidade de cada bioma e criar relações respeitosas com a vida e a cultura dos povos que neles habitam, especialmente à luz do Evangelho. Para ele, a depredação dos biomas é a manifestação da crise ecológica que pede uma profunda conversão interior. “Ao meditarmos e rezarmos, os biomas e as pessoas que neles vivem sejamos conduzidos à vida nova”, afirma.

Assim, nossa proposta para esse mês é que o tema da Campanha da Fraternidade seja assunto para um encontro do seu grupo. Para isso, indicamos a seguinte dinâmica:

- Reúna o seu grupo em uma área externa da Unidade;

- Oriente para que possam fazer um momento de deserto (cerca de 15 minutos) contemplando a natureza. Após a observação, proponha que os/as Participantes registrem, por meio de foto com o celular mesmo, um detalhe do ambiente que percorreram que passou despercebido;

- Reúna o grupo novamente e convide para a partilha das imagens que foram feitas e a discussão de o porquê da escolha;

- Após o fim das partilhas, proponha a reflexão de que todos os elementos que nos cercam compõem a natureza e têm, cada um, a sua importância. A correria do dia a dia nos impede que observemos o todo da criação.

- Como ato concreto, o/a Animador/a pode convidar todos para o plantio de uma muda de árvore que será do grupo e caberá aos/às Participantes o seu cuidado. Caso opte pelo plantio, converse com o/a Assessor/a da PJM para saber qual é o melhor local para o cultivo e qual é a espécie mais indicada.

Subsídios:

Encíclica do Papa Francisco Laudato Si

Texto bíblico: Gn 2, 1-15

Realidade dos Biomas Brasileiros: Site A12

Texto: Emilin Grings | Agente de Pastoral da Coordenação de Pastoral da Rede Marista e integrante da Equipe Provincial da PJM 2017.

Sugestão de música: